Vagabond: Miamoto Musashi está de volta.

Ontem li a notícia – publicada no Anime News Network – que Vagabond voltará ser produzida no Japão. O mangá criado por Takehiko Inoue, retomará suas estórias depois de 2 anos parados. Inoue, que também desenha a obra, parou a produção em agosto de 2010 devido a problemas de saúde. Agora recuperado, revelou que a publicação retornará às bancas no próximo mês.

Boa notícia para quem acompanha as aventuras daquele que é conhecido como o maior espadachim do Japão em todos os tempos. Sim, para aqueles que não ainda não sabem, Miamoto Musashi existiu. Viveu no século 16 e sua história, aventuras e ensinamentos têm sido passado desde aquela época. O próprio Musashi, profundo estudioso de Confúcio foi autor de um livro no final de sua vida. Era um guia de estratégia chamado o Livro dos Cinco Anéis, é considerado um clássico da literatura japonesa. Assim como  A Arte da Guerra de Sun Tzu é utilizada, nos dias de hoje, como referência de estratégia empresarial, por estudantes, gerentes de marketing e demais interessados em táticas para atingir o sucesso.

A história de Miamoto Musashi – da forma linear como é contada hoje – foi primeiro publicada no jornal Asahi Shimbun no Japão. Semanalmente, o autor Eiji Yoshikawa, publicava trechos pequenos e fechados que eram contados em encartes no estilo folhetim, entre 1935 e 1939. Logo depois,  uma compilação destes textos de estórias soltas ganham uma versão romanceada em um livro. Em 1998, Takehiko Inoue publica sua versão em magá, baseada no romance de Yoshikawa. É claro que existem personagens inventados, tanto no romance, quanto na versão mangá. E se comparadas é possível encontrar diferenças entre os personagens coadjuvantes das duas estórias. Contudo, o personagem principal continua sendo o herói real, até hoje cultuado pelo povo japonês.

Particularmente, folhei o mangá algumas vezes, mas como já havia lido o romance antes achei meio frustrante ver desenhadas no papel as imagens que já havia imaginado na minha cabeça. Não adianta, é similar a quando fazem um filme de uma HQ – com algumas raríssimas exceções – não dá pra ficar satisfeito. 🙂

Vou preparar um post falando a respeito do romance e outro a respeito do livro dos 5 anéis. Já li os dois e passo as dicas dentro em breve.

Facebook