Tamagotchi chega à adolescência

O Tamagotchi é um dos ícones da cultura POP nos anos 90, que invadiu os anos 2000 e perdura ainda hoje – só que sem tanto estardalhaço. Em novembro de 1996 a Bandai – empresa japonesa que fabrica brinquedos, produz animações e mais recentemente jogos, este último associada à NAMCO – lança o Tamagotchi, um chaveirinho que trazia consigo um bichinho virtual que sofria de um tremendo decifit de atenção. Em suma, era um programinha que emulava expressões enquanto pedia comida, atenção e carinho. De início era direcionado ao público infantil japonês a partir dos 6 Anos de idade, a intenção era introduzir as responsabilidades que eles deveriam ter quando chegasse a hora de pedir um bichinho de verdade, além de introduzir o conceito de morte se o bichinho virtual não fosse bem cuidado. Com o sucesso conquistou o resto do mundo e outra faixa etária – a dos adolescentes. Pois bem, o aparelhinho virou febre e bombou na segunda metade da década de 90, a primeira geração de Tamagotchis resistiu até os idos de 2004. A próxima geração apareceu com a qualidade gráfica bem melhorada e a possibilidade de conexões por infravermelho. Como pretexto de interação entre os adolescentes da época o bichinho ganha habilidade de fazer novas amizades e até de procriarem. Nos idos de 2008 chegaram a alimentar o bichinho com um pedaço de maça e este foi parar no iPod Classic como um aplicativo.

Para comemorar os 15 anos do Tamagotchi a Bandai anunciou o lançamento do modelo iD L 15th Anniversary somente para os japoneses. Suas inovações? tela colorida, permite a instalação de um pedômetro, relógio e calculadora e mais um monte de tranqueiras que devem – muito provavelmente – estimular o proprietário a afogá-lo na pia do banheiro. Isso se ele não for a prova d´água!

Como eles morrem o Tamacídio no mundo todo – por dados informados pela Bandai – atualmente é de 78 milhões de Tamagotchis vendidos desde o seu lançamento de 1996.

Facebook

Deixe uma resposta