Superman Terra Um – Graphic Novel

Comprei! Olhei na prateleira e lá fui eu, comprei mais uma versão da estória da origem do Superman. Sabe a estória daquele garoto que veio pra terra escapando de uma iminente explosão de seu planeta natal, caindo na terra é encontrado por um casal e por ele é criado. Seu pai adotivo morre quando ele ainda era um adolescente ele cresce e vai pra cidade grande a acaba se transformando o maior herói da terra, defendendo a justiça, liberdade e o modo de vida americano?

Adivinha só!!! Nada mudou, a estória é a mesma somente alguns detalhes foram revistos.

É isso aí caro leitor, se quiser descobrir mais sobre esta publicação por si mesmo lendo a revista,  não passe deste ponto porque a estória será comentada a partir daqui!! 
Alerta de Spoiler!

Sim Superman veio de Kripton, sim escapou em uma nave espacial mandada por seus pais na eminência da explosão de Kripton, sim foi encontrado por John e Martha Kent e sim ele acaba trabalhando no Planeta Diário. A essência é a mesma, não fiquem preocupados porque ninguém deu reboot nessa parte da estória!
O que mudou foi como esses eventos aconteceram. As novidades foram inseridas onde haviam possibilidades e lacunas. E é claro que outras coisas foram simplesmente re-escritas.
Todos sabemos que o planeta Kripton explodiu pois seu núcleo se tornou instável. Contudo, uma novidade é inserida na estória que explica o porque ele se tornou instável. A novidade é que existia – pasmem – um outro planeta habitado no mesmo sistema solar de Kripton. Eles orbitavam a mesma estrela vermelha e a cada 20 anos as órbitas se tornava próximas o bastante para eles se degladiarem pelo domínio do sistema.
Entre vitórias e derrotas, anos e anos de guerras se passaram e a balança das agressões se mantinha sempre com uma leve vantagem para Kripton. Foi quando aliados misteriosos apareceram para ajudar este planeta inimigo de Kripton. 

Nota: Não li Terra Um – volume 2 para saber quem é este aliado não revelado no volume 1, mas tá me cheirando a coisa de um certo Dar… bem deixa pra lá, é só um chute!

Enfim, Kripton explodiu, vocês já sabem, mas pra saber como – tem que ler a Graphic Novel. O Kaleuzim veio parar na Terra, Martha e Jonanthan Kent o encontraram-no caído de uma nave, ele cresceu e: Sabe toda aquela estória de Smallville ou do Reboot da DC para contar a estória do Superboy!?!?! Pula, não houve nada disso, nesse período todo só se vê um Clark Kent entediado porque é muito bom em tudo que faz – tanto física como intelectualmente – é superior em todas as áreas do conhecimento terrestre. Isso até ele dar de cara com Perry White, Lois Lane e Jimmy Olsen no Planeta Diário.
Papo vai, papo vem, uma armada alienígena invade a Terra!!! Claro!!! Huumm, sei não! Onde será que eu já vi isso?
O Vilão, líder dos invasores, é alguém do passado de Kal-el. Como personagem ele foi fraco, não tinha os predicados para fazer o antagonista do Superman. É claramente uma escada para um inimigo maior que irá surgir. A surpresa ficou para a composição do personagem de Jimmy Olsen, que estranhamente ganhou traços de personalidade que deveriam aparecer na atuação de Lois Lane – bem apagada por sinal.
Quanto aos traços de desenho sou suspeito pois gosto dos traços feitos por Greg Capullo, Jim Lee e Scott Campbell – para desenhos de HQ – qualquer coisa que fuja do estilo desses caras já me parece abaixo do padrão. Bom, o que posso dizer é que Shane Davis não está no nível desses caras. 
Shame Shane, Shame!! tsk, tsk. 🙂
De uma maneira geral achei a estória fraca comparada a original – beeeem mais forte e com personagens mais bem trabalhados. Mas é uma versão sem compromissos, assim como são os filmes de cinema ou de animação. De uma forma geral diverte pelas novidades mas realmente não surpreende com estória – até agora. 
Vamos ao volume dois, depois eu conto mais!


Facebook