SpaceX | Sonho de Elon Musk se torna um espetáculo de eficiência

Ficção cientifica? Noops! Tudo bem foguetes existem desde o fim da segunda guerra mundial; sim… o homem já foi ao espaço; Sim… ele também já pisou na Lua… e isso lá na década de 60 há quase 60 anos atrás. Anos mais tarde estávamos colocando drones em Marte.  Tudo isso dá a dimensão do esforço e da raça que a humanidade teve pra chegar lá de qualquer jeito. Contudo, até ontem a sensação é que o que tínhamos conquistado foi somente para provar que podíamos.

Mas, ultimamente, duas façanhas começaram a alimentar minha esperança de poder ver a exploração espacial acontecendo ainda nesta minha existência atual neste planeta. A primeira  foi Rosetta uma sonda espacial construída e lançada pela Agência Espacial Europeia com a missão de encontrar-se no espaço e fazer um estudo detalhado do cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko, que viajava entre as órbitas da Terra e de Júpiter. Ver a sonda lançada anos antes, pousando em um cometa em um ponto distante do espaço com precisão foi um fato fantástico digno de aplausos de pé.

O último evento foi o teste operacional de lançamento da Falcon Heavy hoje dia 06 de janeiro de 2018. Acompanhar tudo, desde o lançamento até o retorno de todo material lançado pousando na vertical vindo do espaço em um alvo específico e em um navio drone no meio do mar, foi simplesmente FANTÁSTICO. Naquele momento olhei e realmente senti esperança que sim agora podemos alcançar algo maior ainda vida. Estas conquistas foram realizadas por empresas ou organizações que não foram a NASA – pioneira na exploração espacial. NASA que aliás deve ter ficado com a pulga atras da orelha depois do show de eficiência mostrado pela SpaceX… só aquele pouso dos busters – os dois juntinhos, um do lado do outro – já faz aqueles pousos com paraquedas da NASA parecerem algo da idade da pedra. Talvez a falta de competição e um bolso cheio de dinheiro do governo americano durante anos tenha acomodado a criatividade dos pioneiros espaciais, mas um choque de realidade talvez faça despertar uma boa competição na nova corrida espacial.

Abaixo está um vídeo com a de como deveria ser o lançamento e retorno da Falcon Heavy…

 

e mais abaixo como realmente foi… e como foi? exatamente como planejado e ao vivo foi muito mais espetacular. Como diriam uns e outros foi o sonho realizado de qualquer fan de ficção cientifica. Foi como um bust no animo de qualquer um, como se você quisesse também construir foguetes pra dar uns rolês pelo espaço.

O  Falcon Heavy é o foguete operacional mais poderoso do mundo por dois fatores principais. A primeira é a capacidade de levar em órbita cerca de 64 toneladas métricas (141,000 lb) – uma massa maior do que um avião 737 carregado com passageiros, tripulação, bagagem e combustível – Falcon Heavy pode levantar mais do dobro da carga útil do que o Delta IV Heavy. A segunda é que ele pode fazer isto com um terço do custo.

O primeiro estágio de Falcon Heavy é composto por três núcleos de nove motores do Falcon 9, cujos 27 motores Merlin geram mais de 5 milhões de libras de impulso ao parar, igual a aproximadamente dezoito 747 aeronaves.

Após o levantamento, os dois impulsores laterais se separam do núcleo central e retornam aos locais de pouso para futuras reutilizações. O núcleo central, viajando cada vez mais rápido do que os impulsionadores laterais, também retorna para reutilização, mas pousa em um navio de drone localizado no Oceano Atlântico.

Como era um teste a carga simbólica do Falcon foi um carro Tesla conversível com um boneco de astronauta sentado nele. Nada como ser um milionário e ter muito bom humor pra colocar um carro no espaço.

A velocidade máxima, o Roadster viajará 11 km / s (7mi / s) e viajará 400 milhões de km (250 milhões de mi) da Terra.

Parabéns! você acabou da acompanhar uma virada na retomada da futura exploração espacial, acabou de viver a história!

Facebook