Solo: uma história Star Wars | O filme que eu vi

Estreou neste fim de semana mais um spin off de Star Wars – Solo : uma história Star Wars. E como é um filme canônico Star Wars, o tio aqui, se empirulitou pra o cinema logo no sábado pra acabar não levando spoiler durante a semana.


SPOILER ALERT

… ou não …

Na verdade… acho que nem se eu quisesse, eu tomaria spoiler deste filme – porque, de uma maneira geral, o filme só faz contar tintin por tintin tudo o que nós já sabíamos sobre Han solo. Desde o primeiro filme da saga sabíamos que Solo era um contrabandista que eventualmente já havia trabalhado para o império como piloto. Sabíamos desde o segundo filme que ele conhecia Lando Calrissian há muito tempo e que havia ganhado a Millenium Falcon do próprio Lando em um jogo de cartas. Sabíamos mais! Sabíamos que Solo era famoso por soltar suas cargas para sair correndo de uma enrascada, que ele havia feito o circuito de Kessel em menos de 12 parsecs e que sim… ele sempre atira primeiro.

Então… se você sabe de tudo isso… Parabéns! Você já assistiu o filme de origem de Han solo… nota: no final Solo e o Chewie partem para Tatooine para trabalhar com um gangster local.

Digam! Mandei algum spoiler?

E o que a gente não sabia?

O que a gente não sabia era que a Millenuim Falcon tem agregada em seu banco de dados a memória da droide L3 – imediata de Lando Calrissian e que tinha uma personalidade peculiar, além de ter em seus circuitos um incrível banco de dados de rotas mapeadas em toda galáxia. Isso seria um bom motivo para “justificar” uma personalidade a Millenium e sua mania de fazer “birra” nas horas mais críticas.

Tão pouco conhecíamos alguma coisa sobre Qi’ra, por quem Han foi apaixonado na juventude e que sem dúvida foi o único personagem que roubou a cena no filme – talvez por ser justamente o único mistério levantado sobre o filme. Uma vez que ao final se tornou líder do grupo Aurora Escarlate e por seu envolvimento com… pasmem… Darth Maul – tsk, tsk… sim… tinha que ter um sabre de luz no filme…

Bom parece que a presença do personagem na história já rendeu uma vez que a mesma apareceu na animação Star Wars Forces of Destiny – da Disney:

Uma Decepção…

Aquele de quem se esperava roubar a cena – Lando Calrissian – não conseguiu. Muito por culpa de Donald Glover que não chegou nem aos pés do carisma de Billy Dee Williams – que deu vida ao personagem na primeira trilogia.

O filme em si tinha a pretensão de ser um faroeste espacial, mas até nisso ele pecou. Apesar de mostrar algumas cenas clichês como: o adversário por baixo das pernas do mocinho, poderia ter respeitado mais os enquadramentos  e dinâmica que fizeram os Westerns famosos nas décadas de 50s e 60s – eram os filmes de Super-herois da época. O chamado plano americano, um plano de enquadramento do cinema que mostra o personagem do joelho pra cima, nasceu pela necessidade de mostrar o coldre com a arma nos personagens de Westerns.

Enfim… Nada de novo em relação a Han Solo em si – a não ser pelo fato de ter crescido em Corellia, seu pai ter trabalhado em uma fabrica de naves montando o Cargueiro Corelliano YT-1300 – o modelo da Millenium. E que tem seu sobrenome graças a criatividade de um oficial de alistamento do Império que teria Batizado o mesmo tão somente pelo fato do mesmo ter se declarado sozinho… sem família… logo Han (só) ou… Han Solo!

Pegou essa? pois é! Dureza heim!

Facebook