Planeta dos Macacos – Impressões do filme.

Planeta dos Macacos – O Confronto – é um daqueles filmes que queremos assistir de cara só pela boa surpresa e pela sacada do que foi o primeiro filme, estória interessante, um belo prequel da obra já consolidada da cultura pop desde os anos 70, com filmes e séries.

sinopse:

Uma crescente nação de primatas geneticamente modificados e liderados por Cesar é ameaçada pelos sobreviventes humanos de uma alarmante epidemia viral desencadeada há uma década. O momento de paz em que se encontram está fragilizado e dura pouco, quando os dois lados são levados à beira de uma guerra que determinará quem será a espécie dominante da Terra.


Mas… e tinha que ter um mas… como na maioria das continuações essa também não me agradou muito. Primeiro que acabei assistindo em 3D (*3DPraque?) o que só aumenta minha crítica a qualquer filme. Independente disso, obviamente, o que nós não esperamos ir assistir no cinema são reflexões filosóficas e existenciais em uma sociedade formada por macacos, onde, a utópica sociedade estabelecida já havia dado um salto quântico na sua forma e organização – muito além do que nós seres humanos atrasados e bestiais conseguimos de fato. Repensando o filme, acredito ser válida e pertinente a discussão, mas naquele contexto, 10 anos de sociedade símia foi comparada milhares de anos de evolução humana… naquele passo em 50 anos estariam em plutão montando uma base de pesquisa avançada. Ou seja, achei o tema muito bom, mas bem mal dimensionado no tempo da estória.

Enredo a parte, embora também, por este motivo, o filme ficou arrastado – são 130 minutos em que vamos ver ação somente nos 30 minutos finais… tudo bem, tudo bem… a abordagem do filme sugere mais reflexão do que o simples consumismo de ação… contudo, não são idéias revolucionárias. A meu ver a única coisa que conseguimos reconhecer foi que em até em uma sociedade utópica a estabilidade é tão frágil que basta um indivíduo sair da linha para mesma desmoronar. Por este motivo, acredito que o roteiro deveria ser salpicado de mais ação para, pelo menos, evitar uma inoportuna cochilada de minha parte durante o filme. E aquela sensação de “esse filme não acaba!” quando você começa a não achar mais conforto na cadeira do cinema.

Minha opinião?
Um filme bom, mas longe de ser excelente.
Talvez assistiria se estivesse zapeando pela TV a cabo… mas só que não tivesse algo melhor pra ver.

Contudo, tudo isso é só a minha opinião! 😉

(*link para motivos pelos quais assistir um filme 3D é ridículo)

Facebook