[Opinião Quântica] Homem-Aranha: De Volta ao Lar

O ano é 2002, um garoto que sempre lia Homem-Aranha nos formatinhos da editora Abril e via série animada do teioso nas manhãs da Globo via, pela primeira vez, um Homem-Aranha de carne osso nas telas do cinema. Imagine o impacto que isso teve, a revolução em como você enxergava tal herói.

Homem-Aranha raiz

Depois desse, que é um dos melhores filmes do Homem-Aranha na opinião desse que vos escreve, tivemos o excelente Homem-Aranha 2, e os não-tão-bons-assim Homem-Aranha 3 e Espetacular Homem-Aranha 1 e 2 (apesar desse último ter uma cena específica que melhor captura toda a essência do personagem), e após tantos filmes fracos ficamos órfãos daquele Peter Parker que nos inspirasse novamente e nos lembrasse do que ele era nos quadrinhos.

Eis que o bom filho à casa torna, com um acordo entre Sony Entertainment e Marvel Studios e finalmente temos Homem-Aranha: De Volta ao Lar.

Minha experiência no cinema com esse filme foi muito boa. Foi um filme divertido, cheio de bom-humor, piadas bem encaixadas e personagens secundários cativantes. Sim, até o Flash Thompson, que foi atualizado para tempos mais modernos, foi mais cativante que o Flash dos filmes “Espetacular”. Peter Parker tem várias das características do início de sua jornada nos quadrinhos, ainda aprendendo a usar os poderes. E o vilão? Posso afirmar, com certeza, que foi o melhor até agora no Universo Cinematográfico Marvel, cujas motivações conquistam o público; um personagem bem construído, com falhas (como qualquer ser humano), que não ambiciona conquistar o mundo como o bom e velho vilão de quadrinhos, apenas se vingar por injustiças cometidas contra ele. E AGORA ATENÇÃO, A PARTIR DAQUI, O TEXTO CONTÉM SPOILERS DO FILME.

SIGA POR SUA CONTA E RISCO!

 

Quero dar minhas impressões com spoilers começando com o personagem que mais gostei no filme: Adrian Toomes, o Abutre. Michael Keaton nos entrega uma atuação empolgante e digna de só quem vestiu três asas diferentes nos cinemas pode entregar (Batman, Birdman e agora Abutre). Ele é um vilão humano, que só quer prover à sua família, depois de perder o emprego para o Controle de Danos, uma motivação simples, mas que faz com que o público se identifique. Também é dele o momento que mais tira o fôlego, quando Peter Parker chega à porta da casa de sua crush, Liz, e quem aparece? Sim, o Abutre. BOOM! A sala inteira vai à loucura! Nesse momento, o vilão se torna mais humano ainda, pois o vemos com sua guarda baixa, junto da família. Ou seja, um homem que apenas quer dar uma boa vida para sua esposa e filha.

“Se você mexer comigo, eu vou matar você e todo mundo que você ama.”

Agora vamos ao “Pedro” Parker. Tom Holland se entrega de corpo e alma ao papel. Pra quem não sabe, ele tem fundações em ballet e ginástica olímpica, e muitas das acrobacias do filme são feitas por ele mesmo. Ao mesmo tempo que ele entrega um ótimo Peter Parker/Homem-Aranha, simplesmente não posso concordar com as pessoas que dizem ser esse o mais fiel aos quadrinhos. Por quê? Vamos aos motivos: ele não passa a sensação de ter “grandes poderes e grandes responsabilidades”, sendo um super herói muito atrapalhado, que não pensa nas consequências (causando um belo de um acidente logo no começo do filme). Apesar de ter criado os lançadores de teia, ele precisa de ajuda do amigo Ned para hackear o traje que foi presente do Stark. Qual é, o Peter dos quadrinhos decifraria o código em menos de um dia! Apesar disso, em uma cena eu consegui ver um resquício do Peter que eu lia nos formatinhos: quando o Abutre derruba o prédio nele, e ele fica olhando seu reflexo na água, e diz: “Vai peter, você é o Homem-Aranha, você consegue!” (os pelos no meu braço se arrepiaram enquanto escrevia isso), e isso só mostra todo o potencial que esse Homem-Aranha tem no futuro.

Apesar desses “apesares”, foi uma excelente experiência, a qual não tenho desde 2002, com o Peter bobão do Tobey Maguire, e o Duende Verde da Rita Repulsa, do Willem Dafoe.

E pra quem curtiu a trilha sonora, aqui tem a trilha sonora original no Spotify, e aqui uma playlist com as músicas que tocaram no filme.

Facebook

Deixe uma resposta