Liga da Justiça | O filme que eu vi !

Entramos o mês com a hype lá em cima para ver, finalmente, o heróis da DC em sua maioria reunidos no cinema. A Liga da Justiça, para um cara que gosta da DC e curte muito as animações que, geralmente, seguem muito fielmente os arcos que estão nos próprios quadrinhos. No caso deste filme, assim como aconteceu em BvS, mais uma vez misturaram pelo menos duas sagas : o Retorno do Superman e o Primeiro Arco dos novos 52 “WAR” onde mostram a origem da Liga da Justiça. Mais uma vez deviam ter mais de seis horas de material pra fazer 2 horas de filme…. mais uma vez!!!

Spoilers daqui pra frente – a análise abaixo, conta tudo sobre o filme… mas também se você já assistiu todos os trailes, spots, propagandas e videos promocionais, provavelmente assistiu mais conteúdo do o filme mostrou.

Primeiro ato – excelente

Considero o primeiro ato do inicio do filme até o ponto em que toda equipe de reúne o porto de Gotham. Quando o Aquaman olha pro Batman vestido e diz – “Como um morcego?”.

No primeiro ato há a apresentação dos heróis, a apresentação do problema e o ponto de virada é justamente quando todos se reúnem para resolve-lo.

O filme começa com a sequencia do Batman investigando e usando um bandido de isca para “pescar” um parademônio. Só naquela sequencia podemos ver o detetive, o estrategista e o guerreiro tudo junto. Viu! não é difícil” em três ou quatro minutos de filme, estava lá. Estabelecido o Batman.

Em uma sequência a Mulher Maravilha é apresentada salvando reféns de terroristas, que sequencia foi aquela? Pra mim todas as cenas de luta dela foram ótimas, ela segurando o bandido com um braço pendurado pelo laço da verdade, atravessando o concreto pra pular pro andar de cima e se livrando da bomba e principalmente desviando as balas da metralhadora do bandido que atirava em direção aos reféns.

Neste momento do filme pensei – “vou comprar o blueray desse filme só por essas duas cenas!” nem tenho o aparelho, mas ia comprar assim mesmo!

E o filme continua com as cenas que não são segredo porque os trailers andam entregando demais o conteúdo dos filmes. As cenas do Batman recrutando o Aquaman e o Flash. Já estavam nos trailers, o Barry Allen conversando com o pai na cadeia, também está lá nos trailers, a Diana recrutando o Ciborg também estava nos trailers. São todas cenas que perdem um pouco da força porque já vimos, mas estão bem amarradas até aquele momento.

Como na Jornada do Herói, nossos heróis são apresentados ao problema e é então que o vilão do filme é apresentado. O Lobo da Estepe aparece ao lado da caixa materna que estava com as amazonas (também está nos trailers). E a sequencia de ação na ilha paraíso é simplesmente sensacional, as amazonas defendendo e fugindo com a caixa. Na boa! Eu comprava a ideia de um filme só das Amazonas de Themiscera, elas se encaixam perfeitamente com o estilo de Snider – algo mais pro lado de 300 e Suker Punch. Enfim… seguindo com o filme. A caixa materna é roubada das Amazonas, isso faz com que Diana de Themiscera se envolva imediatamente com o compromisso de salvar o mundo.

Logo depois, o vilão parte para pegar a caixa que estão com os Atlantis, onde encontra um contingente de resistência bem menor, mas Atlantis tem Mera e ali já dá pra ter uma ideia da força do personagem. Ela dá um canseira no Lobo da Estepe, Aquaman chega para ajudar mas não é páreo para o vilão. O Lobo da Estepe foge com a segunda caixa e Mera lembra Arthur do seu dever de herdeiro e proteger Atlântida do perigo.

Diana explica a Bruce o porque disto está acontecendo e que não é a primeira vez na história da terra que o Lobo da Estepe tenta invadir a terra. E sua estória é ilustrada com as imagens da primeira vez que o vilão tentou invadir a terra. Nas cenas podemos ver deuses do Olimpo, Amazonas, Atlantis, Tribos dos homens e tivemos até o vislumbre de dois Lanternas Verde, com um deles sendo morto em primeiro plano e seu anel saindo do dedo indo a procura de um novo dono. Sensacional!

Em busca da terceira caixa, a caixa materna dos homens, o Lobo da Estepe começa a sequestrar funcionários dos laboratórios Star e entre eles o pai de Victor desaparece também. Neste momento, motivados pelo dever Aquaman e Mulher Maravilha se juntam a Batmam que já estava engajado na busca e havia recrutado o Flash. O Ciborg se junta a equipe motivado pelo sequestro do pai. E esta reunião culmina no primeiro embate dos seis heróis contra o vilão Lobo da Estepe. Ao fim destas cenas de ação, ótima sequencia de cenas por sinal, encerra-se assim o primeiro ato do filme.

Até este momento, estava tudo bem amarrado – já tinha valido o ingresso e tudo parecia promissor.

 

Segundo ato – bom

O segundo ato vai da reunião no porto de Gotham até o outro ponto de virada, quando o Superman é renascido.

No fim do primeiro ato, após a primeira luta contra o vilão, todos estavam engajados no que tinha ser feito. São os heróis aceitando seu destino e trabalhando juntos para vencer. O Ciborg apresenta a caixa materna dos humanos ao grupo e nasce a ideia que levaria ao terceiro ato.

Batman sugere que assim como aconteceu com Ciborg a caixa materna poderia ressuscitar o Superman.

Nem todos aceitam a ideia pela possibilidade de nascer um monstro dali, mas acaba sendo feito como uma tentativa de resolver o problema.

A ideia vem dos quadrinhos. Sim… a caixa materna já ajudou a recuperar Superman de batalhas que ele travou com Darkseid nos quadrinhos. Na saga retorno do Superman não foi a caixa materna e sim a tecnologia da fortaleza da solidão que recuperou o Superman. De certa maneira os diretores misturaram as duas ideias, pois no universo cinematográfico o que mais se aproxima a fortaleza da solidão é justamente a nave que caiu em Metrópolis e a ideia de colocar Clark submerso em líquido aminiótico kriptoniano e recuperado pela caixa materna me pareceu bem razoável. 

Só que eu – Rodrigo – teria adicionado elementos que não prolongaria tanto o filme e faria um fan service mais legalzinho!!! Segue o raciocínio: Nos quadrinhos a roupa preta ajudava Kal el a absorver com mais rapidez os raios solares e recarregar suas células o deixando forte novamente. Ora!! sabemos que o Superman recebeu sua roupa nesta mesma nave, quando a memoria holográfica de seu pai a apresenta. Não seria muito difícil uma versão negra que seria destinada a recuperação estivesse armazenada nesta mesmo nave, seria descoberta pelo Ciborg assim que ele acessasse a nave como o fez. Vestiam esta roupa nele e o filme continuava como continuou. Toda a luta da volta dele e toda a luta do terceiro ato contra o Lobo da estepe seria feita com uniforme preto, é isso!!! Bem vindo Superman, sua catarse seria ali e depois da luta ele ressurge mais feliz otimista e triunfante em uma cena apoteótica para humanidade. Não é difícil… juro, não é difícil… qual é o problema desses cara?

Enfim, o filme contínua o plano dá certo, Superman revive, volta sem memória e dá um pau em todo mundo, mas é uma sequencia legal de luta. Ali já se estabelece que pra bater de frente com o Superman só mesmo a Mulher Maravilha e que sim, o Flash é mais rápido que o Superman, porque Barry deviou de todos os golpes do Super, somente quando inventou de empurrar o Kriptoniano que não se deu bem! Por fim, Batman apelou para Lois Lane pra acalmar a fera. Ela consegue, o Superman sai fora… no instante seguinte o Lobo da Estepe pega a caixa materna que foi esquecida enquanto a Liga enfrentava Superman. Sem Super, sem caixa…. Losers da Justiça!!! O momento de virada de repente parecia anunciar o desastre que seria o terceiro ato.

 

Terceiro ato – péssimo

Depois da sequencia do renascimento do Superman até o fim do filme.

É meus caros!!! Sem caixa e sem Super!!! É dado início a contribuição da grande mão de merda que Joss Wheadon dá ao filme da Liga. Nem sei por onde começar… piadas sem contexto, descaracterização de personagem, cortes nível BvS e roteiro nível esquadrão suicida…. 600 milhões de dólares em produção pra montar o final desse jeito?… sério? Qual é o problema desses caras?

Vamos lá, seguem os cinco para salvar o mundo e a caminho do centro dos acontecimentos, no covil do Lobo, uma cena desnecessária em que Aquaman, sem saber – sentado no laço da verdade, começa uma sessão de análise bem besta na frente de todo mundo. No fim da cena já falei o meu primeiro “whatafok@?”, o filme segue e o plano de invasão ao covil do bandido, daquele que teria que ser o maior estrategista do mundo – é simplesmente… “eu entro quebrando tudo pela porta da frente e atraindo a atenção deles enquanto você pegam o Lobo”…. meeeh! tem dó heim!!! Então Batman entra quebrando tudo pela escudo de proteção, sua nave cai e ele salta de dentro dela com o batmóvel. Neste momento ele chama Alfred – aliás ele chama demais o Alfred, pra quê? – Bom… ele chama o Alfred para transmitir um som que imita o som de um alarme anti aéreo!!! segundo momento “WTF??” instalaram alto-falante no Batmóvel e nem pra ter um radio pra ele rodar um mp3 do áudio? Mais uma vez desnecessário! Enfim como o plano não era bom, o povo mudou e acabaram dando cobertura pra ele… dessa parte não precisa falar muito, novamente tá tudo nos trailers… tudo lá!!! Passados os trailers… entram em combate corpo a corpo com o Lobo da estepe e naquele momento estão tomando um coro, quando tudo parecia perdido a entrada triunfal do superman é um off de audio e então o mesmo aparece atras do lobo da estepe, sorrindo. Deu meia dúzia de sopapos no vilão, que já ficou tremendo nas bases pelo fato do kriptoniano estar vivo. E no momento que Superman podia dar fim a tudo, vira as costas contrariando um batman sem jeito, guaguejando e titubiando!!

Sobre o batman: Agora vou falar em português!!! “Pooooorra é essa?”

virou de costas e foi salvar um prédio cheio de gente, piadinha com flash, chamando ele de lerdo… e segue a Liga tomando coro do vilão!!!! Civis salvos e com uma discrepância absurda de força, Superman volta e com meia duzia de sopapos acaba com o vilão. Vilão espulso Superman ajuda Ciborg a impedir a fusão das três caixas maternas, elas se separam com um descompressão explosivas, os dois caem no chão e mais piadinhas, de um Ciborg da depressão que passou o filme inteiro de cara fechada e do Superman que tinha voltado da morte puto nas calças!!! Não feliz com isso!!! Piadinha da Mulher Maravilha, Meninos… estou trabalhando com meninos!

Gente esse filme não acaba!!! Por favor parem de fazer isso!!!!

Ouvi uma teoria de que o Super voltou felizinho porque tinha reencontrado a Lois… Bom Lois trabalhou bem, depois de tirar o atraso e do chá de lorazepan, o bixo voltou nóiado com uma felicidade fora de contexto com o resto do tom do filme.

Aí quando acho que o fílme acabou, piadinha pós créditos de flash com Superman pra ver quem vai mais rápido. Ô Joss Wheldon, pega as piadinhas e enfia nos filmes da Marvel… Tem dó!!!

E Fim!
Esse foi o filme que eu vi!

Acabou o filme e nem sei se aquela cena pós-créditos, do Lex e o Deathstroke, faz algum sentido já que não há coerência nem dentro do roteiro do próprio filme, imagina tentar fazer um link de um filme pra outro.


#poxawarnnerdeixaeufazerofilmenuncatepedinada

Personagens:

Excelente:
Mulher Maravilha: Cenas de ação muito boas, seus movimentos de luta com a espada perfeitos, Gadot tem carisma…  Gal pode não ser uma Merryl Streep ainda, mas aquele sotaque dá carisma e ela fotografa muito bem, suas linhas de dialogo são melhores que todos os outros, o roteiro privilegia um personagem mais maduro entre os outros personagens.

Bom:
Ciborg: o CGI do Ciborg ficou honesto, a forma como o ator anda ou a animação que fizeram no CGI ficou muito boa pra mim. Obviamente que muito da estória do personagem foi cortado, mas o que foi apresentado atende ao filme.
Alfred: Fico pensando que o Jeremy Irons deve pensar o que é que eu tô fazendo aqui, toda vez que aparece em cena é muito ator pra pouco papel. Só sendo irônico como o Alfred mesmo.

Regular:
Aquaman: Momoa parecia promissor, parecia que ia decolar, mas do meio pro fim a atuação deu uma caída, aquela linha de diálogo dele sentado no laço da verdade foi tão constrangedora que eu preferia que ele tivesse aparecido montado em um cavalo marinho cor de rosa como no cartum network.
Batman: Nossa… a primeira cena do filme em que ele aparece quase me fez comprar o blueray do filme. Pensei: é isso! Isso é Batman Raiz. Mas depois que ele gaguejou pro Superman, lascou tudo. Naquele momento, quem realmente conhece os personagens saberia que o Batman manteria sua posição dizendo algo – como alguém que não se importa dissesse e o Superman entenderia que ele não queria dizer isto. Batman novamente foi prejudicado pelo roteiro.

Ruim:
Lobo da estepe: CGI sem carisma, muito obvio e sem profundidade.
Superman: Praticamente um CGI com aquele beiço de bigode duro, sem carisma algum, linhas de diálogos zero, nem os planos de fotografia, nem o roteiro salvaram o Superman neste filme.

Péssimo:
Flash: Jura? Esra Miller é muito ruim. Não chegou nem perto do Barry Allen e muito menos o Wally West que é o verdadeiro piadista na Liga dos quadrinhos. Ele não tem timming de comédia, não aquela que tentaram atravessar no filme. Como é que vão fazer Flashpoint com esse cara? Só se trocarem ele pelo flash da TV no multiverso!

Facebook