Extra, Extra 15 pessoas enganadas!!! Manchete:”Seu Madruga é o pai do Chaves!!!”

E eu fui uma delas!!

Tem horas que você tem que abaixar a cabeça e se retratar da cagada que fez:
Mesmo consultando em duas fontes, metro journal e O tempo que já trataram de se retratar ou não, lembrando o Episódio do Chaves jornaleiro vale o brado Extra Extra 15 pessoas enganadas!! Com jornal da semana passada, neste caso de 2015, por conta de uma entrevista supostamente dada  ao jornal Diario Libre de Santo Domingo, da República Dominicana por  Enrique Segoviano, diretor e produtor do seriado “Chaves”.

Não precisava pesquisar muito pra perceber pois o livro original de Bolaños Diário do Chaves foi publicado em 1995 existem reimpressões de 2005 rolando na internet e obviamente já estaríam escancaradas há muito tempo…

My Bad… E obrigado pelo comentário Fernando Fernandes por me alertar para o erre, grato!!!

 


segue abaixo a notícia falsa que repercuti erradamente mais cedo:

A série “Chaves” foi produzida entre 1971 a 1980 e imaginadas pelo criador e protagonista Roberto Gómez Bolaños.

Uma questão em especial, sobre a identidade do pai de Chaves, teve resposta no livro “El Diario del Chavo” (O Diário de Chaves), assinado pelo próprio Bolaños. Na obra, ele narra o roteiro do final que imaginou para a série e mostrou que muitas teorias dos fãs faziam sentido.

Qualquer teoria de conspiração que apostava no Seu Madruga como o pai do Chaves estava certa.

A história, porém, nunca foi gravada por conflitos internos da produção, segundo contou um dos diretores da série, Enrique Segoviano.

O encerramento de Chaves seria feito em dois episódios. Na primeira parte, Seu Madruga confessa ao professor Girafales que conheceu a mãe de Chaves e teve um namorico com ela.

Na segunda, o Senhor Barriga finalmente expulsaria Seu Madruga e Chiquinha da vila por todo histórico de falta de pagamento de aluguel, mas, antes disso, o professor revelaria o grande segredo da série.

 

Facebook

  • Porra—
    Por que nunca pensei nisso?!

    • Rodrigo Nunes

      Informação incorreta Ozymandias, Errata corrigida, Desculpe