Capitã Marvel | o filme que eu vi

É Mar-Vell dizia Carol Denvers no filme… Divertido é a definição dos filmes da Marvel, com dez anos de prática eles já aprenderam a fórmula o que dispensa a surpresa. Mesmo sem surpresas fizeram um filme de origem seguindo a cartilha com arrecadação passando de 1 bilhão… é o efeito bola de neve, em que um filme carrega o outro.

Comparado a origem nos quadrinhos há uma adaptação ao cinema, nunca tive problemas com isso, contanto que seja coerente – e foi. O engraçado é que enquanto ia assistindo ao filme ia identificando semelhanças até com filmes que não eram da casa. A cena do metrô em que a Capitã luta com uma velinha ( Scrull ) é muito parecida com a cena de luta do Homem Aranha contra Dr. Octopus em homem aranha 2 com Tobey Maguire.

se bem que cena de briga em cima de trem já está meio que virando lugar comum, haja vista Wolverine imortal…

Afinal era um filme que precisava apresentar um personagem que está presente no universo dos quadrinhos, que é importantíssimo para o enredo da guerra infinita e que de ultima alguém se tocou que precisava inserir. Por este motivo, penso que tinham que fazer um filme sem riscos – o que foi feito, mas nem por isso deixou de ser divertido.

Gostei especialmente do plot twist do filme, bela virada até mesmo porque comprei a ideia de Skrulls malvados e que torna o plot muito bom. A ponta solta pra mim foi o Gato Goose, que deveria ser o gato de Carol Denvers, mas se não tivesse no filme não ia fazer falta, mesmo pq engolir e golfar um tesseract e arranhar a cara do Nick Fury foi bem bôbo!!

Facebook